ANÁLISE: CAUSA DO DESAJUSTE DAS CONTAS PUBLICAS

Ecrito porRedação em . Postado Kiyoshi Harada

 Os problemas no Brasil são infindáveis e todas as providências adotadas para saná-los são provisórias. Eles retornam a médio prazo, quando não a curto prazo. Não temos o hábito de analisar as causas dos males que nos afligem, a não ser para descobrir aquelas visíveis e de conhecimento público como, por exemplo, a instalação de uma  CPI para investigar a existência da fome mobilizando recursos  fabulosos com os seus integrantes saindo de seus luxuosos e confortáveis gabinetes para examinar in loco a multidão de famintos, a fim de detectar as causas. Depois de exaustivas viagens e entrevistas os membros  da CPI concluíram que a causa da  existência de tantos famintos era a falta de alimentos. O governo de São Paulo, por sua vez, contratou, a peso de ouro, uma instituição especializada para detectar as causas de tantas rebeliões no complexo penitenciário do Estado. O “estudo” concluiu, acertadamente, que a superlotação de presos (9.800 pessoas)  era a responsável pelas rebeliões. Com base nessa conclusão técnica aquele complexo de 9 pavilhões foi dinamitado e o problema foi resolvido! Nunca mais se ouviu falar em rebeliões naquele local conhecido como complexo do Carandiru.

ANÁLISE: CORRUPÇÃO TEM RAÍZES HISTÓRICAS

Ecrito porRedação em . Postado Kiyoshi Harada

 A corrupção é um cancro que corrói os pilares da Democracia porque implica desvio da ordem de 32% dos tributos, arrecadados à custa de 2.600 horas anuais dedicados pelos contribuintes, para cumprir suas obrigações tributárias. Não surgiu no  Brasil da noite para o dia. Ela faz parte de nossa história, como, aliás, faz parte da história de outros povos, porque ela é inerente à sociedade. Só para ilustrar, no escândalo das obras da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos estão envolvidas as seguintes multinacionais: Siemens (ALE), Mitsui (JAP), Bombardier (CAN), Alstom (FRA) e CAF (ESP). O que existem são os diferentes graus de corrupção.

Análise: O fim do regime democrático

Ecrito porRedação em . Postado Kiyoshi Harada

 Como se sabe existem dois regimes de governo: o democrático que é o governo do povo, e o autocrático que é o governo de um só. Na prática, nem um, nem outro. O nosso regime dito democrático evoluiu para a forma  oligárquica de governo, que vem da aristocracia, onde o poder é concentrado em um número reduzido de pessoas. Regime e forma se misturaram.

Mundo OK

Apoio